Biohaicaigrafia

 

 


Meu nome é Seu Juca,

um ninguém que bate perna

pelo chão das nuvens.

 

Sem Fio é sobrenome

que eu visto só pelo avesso,

bem desencapado,

 

pois sempre fui assim:

nunca precisei de corpo

pra ficar pelado.

 

Dei as caras no mundo

pouquinho antes de Brasília,

no bico de um jegue.

 

Foi tão de repente

e tão na moita que nem

minha mãe notou.

Quando ela me viu,

eu já estava engatinhando

entre os automóveis.

 

"Sai da rua, Juquinha",

mãe esbravejou, e isso foi

só o que dela ouvi.

 

Segui meu caminho

com determinação, mas

pedi: "Bença, mãe!"

 

Essa é minha história.

Acredite quem quiser,

quem puder — eu, não!

 

Não garimpo crédito,

aprovação: tenho um nome

a desmazelar.


 

 

 

 

 

 

Parceria

 

 

Para caminhar

comigo, basta ir pro lado

oposto ao que eu vou.

 

 

 

 

 

 

Síntese

 

 

Em cacos me quebro,

e quando me reconstruo

fico um caco só.

 

 

 

 

 

 

Negócio

 

 

Compro a dor, as pestes,

e as hecatombes — e pago

com marasmo e tédio.

 

 

 

 

 

 

Paraíso

 

 

O melhor paraíso

do mundo: esse meu caminho

sem Adão nem Eva.

 

 

 

 

 

 

Bom-mocismo

 

 

Cospe o diabo a quatro

a bocarra desdentada

do meu bom-mocismo.

 

 

 

 

 

 

Rotina

 

 

A aranha faz teia

como quem tece a rotina

de enredar destinos.

 

 

 

 

 

 

A dor maior

 

 

De todas as dores,

a que mais me dói é a de não

sentir dor alguma.

 

 

 

 

 

 

Fera

 

 

Sou ruim de faxina

e de arrumação, mas fera

em lustrar o caos.

 

 

 

 

 

 

Humano

 

 

Às vezes me baixa

toda a essência humana: praga,

merda e palavrão.

 

 

 

 

 

 

Fruta

 

 

Bendito seja o

fruto podre que nos cai,

prenho, na cabeça.

 

 

 

 

 

 

Mãe

 

 

Diz a Vida à Morte:

melhor ser filho da puta

que de mãe nenhuma.

 

 

 

 

 

 

Gostosa

 

 

Uma brisa quente,

tão gostosa que até aplaudo

seu cruzar de pernas.

 

 

 

[imagens erik johansson]

 

 

Seu Juca Sem Fio, o poeta andarilho, em 2014 publicou Eles andarão... Eu andorinha!, livro de poemas, causos, aforismos e reflexões, vendido apenas por e-mail e no Facebook, aqui.